Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos. A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

PrunusPós


Designação do projeto PrunusPós - Otimização de processos de armazenamento, conservação em frio, embalamento ativo e/ou inteligente, e rastreabilidade da qualidade alimentar no pós-colheita de produtos frutícolas
Código do projeto: PDR2020-101-031697
Objetivo principal: A extensão da vida útil das frutas na pós-colheita é conseguida em grande parte pela utilização de refrigeração e pela adequada acomodação na embalagem
Região de intervenção: Portugal Continental
Entidade benificiária: CATAA – Associação Centro de Apoio Tecnológico Agro-Alimentar de Castelo Branco, Cerfundão – Embalamento e Comercialização de Cereja da Cova da Beira Lda., Universidade da Beira Interior, Instituto Politécnico de Castelo Branco, Centro Operativo e tecnológico Hortofrutícola Nacional, Sociedade Agrícola da Quinta dos Lamaçais Lda., Cerejorange – Sociedade Agrícola Lda.
Data de início:  01/01/2018
Data de conclusão: 31/12/2021              
Custo total elegível: 466 000 € 
Apoio financeiro da União Europeia: 349 500 €

Esta iniciativa pretende maximizar a vida útil dos frutos das Prunóideas, mediante 1. Caracterizar experimentalmente o armazenamento, a conservação em frio convencional e o embalamento na pós-colheita da cereja e pêssego e estudar as técnicas inovadoras para este sector. 2. Quantificar tempos e parâmetros de operação de referência nas diferentes etapas de conservação e armazenamento no sentido de estender a vida útil dos produtos frutícolas, recorrendo a avaliação experimental em câmaras de refrigeração com atmosfera controlada e embalagens com atmosfera modificada e simulação numérica. 3. Desenvolver uma ferramenta computacional provisional, que em função de diferentes parâmetros operativos e especificidade do processo, permita otimizar o tempo de permanência em cada etapa do processo de conservação e armazenamento, assegurando a qualidade do produto. 4. Desenvolver embalagens ativas ou inteligentes apropriadas à extensão da vida útil dos produtos frutícolas endógenos da região da Beira Interior recorrendo a novas tecnologias e materiais. As embalagens conciliarão a manutenção das características organoléticas, com o controlo do grau de respiração e transpiração da fruta e com as caraterísticas da transferência de calor decorrentes do processo de refrigeração que possibilitam o aumento de vida da fruta. 5. Desenvolver um manual técnico de recomendações para as condições ambientais de referência (temperatura, humidade relativa, composição da atmosfera, circulação de ar no interior das câmaras, entre outros) nas diferentes etapas do processo de armazenamento e conservação em frio dos produtos frutícolas endógenos da região da Beira Interior. 6. Desenvolver um manual de boas práticas para as técnicas e procedimentos adequada aos produtos frutícolas a observar no armazenamento e conservação em frio.

Pode consultar mais informações em prunospos.webnode.pt .